Texto: Mc 14.1-11

(Jesus é ungido em Betânia)

Compreendendo o texto:

1. Quais os personagens do texto

2. Qual o papel de cada personagem? 

Aprofundando o texto:

3. Nos versículos 1, 2; os chefes dos sacerdotes e os escribas estão tentando conter um certo impulso presente em todos eles; que impulso é esse e porque eles sentiam esse impulso?  

4. Porque eles precisavam segurar o tal impulso durante a festa?

5. Você já precisou segurar um impulso por saber que ele era maligno e que teria consequências ruins em sua vida?

6. No vers. 3, uma mulher não conteve seu impulso de homenagear seu maravilhoso mestre Jesus. Qual o sentimento por trás deste impulso? 

7. Quais as consequências daquele bondoso ato impulsivo? 

8. Você acha que alguns impulsos bons, também precisam ser contidos mesmo que bem-intencionados?

9. Nos vs. 4, 5 está o comentário impulsivo que fizeram contra a mulher. Quais os sentimentos por trás deste comentário? 

10. Você já fez comentários impulsivos? Acha que isso pode dar problemas? Como? 

11. Nos vs. 6-9, Jesus também faz um discurso impulsivo. Qual o sentimento por trás deste impulso? 

12. Você já teve problemas com este impulso de defender os outros?

13. Nos vs. 10-11 é a vez de Judas Iscariotes agir impulsivamente, traindo a Jesus. Você acha que o impulso de Judas foi provocado pelo discurso de Jesus?

14. As consequências do ato impulsivo de Judas foram piores para quem? 

15. Você é uma pessoa impulsiva? O que você pode fazer para crescer nesta área de seu caráter?

Conclusão: Existem impulsos bons e impulsos maus, porém precisamos ter muito cuidado com todos os impulsos, pois todo impulso se baseia em nossas emoções e toda emoção pode ser mentirosa, precipitada e sem nenhuma conexão com a realidade. Portanto ao lidar com os nossos impulsos, o ideal é que todo impulso bom ou mal seja avaliado antes de ser seguido; para que não tenhamos que resolver consequências inesperadas que podem trazer dor e sofrimento para nós e para as pessoas que nos rodeiam; muito especialmente para aquelas pessoas que nós mais amamos, pois são justamente elas que mais ferimos quando agimos impulsivamente.